MEU GRÊMIO PRA FEVEREIRO

Escrito por em 27 de janeiro de 2021

Unha encravada dói. Pisar em caco de vidro dói. Bolada no escroto dói. Puxão na barba dói. Desilusão amorosa, dizem que dói também, não passei por isso.

Muita coisa dói. As dores não são apenas físicas. Na verdade, a maioria das dores são psicológicas. Traumáticas. Como um assalto, por exemplo.
Você é assaltado e não pode reagir, por exemplo. Vários bandidos armados ao seu redor, e você não pode fazer nada. Apenas entregar o trabalho do mês, do ano, e ouvir quieto o bandido tripudiando: “aceita que dói menos”.

Aceitar não vai doer menos. A dor e o trauma de um assalto à mão armada, sem chance nenhuma de reação, são humilhantes e inesquecíveis.

Quando o Grêmio sofreu o assalto humilhante no Grenal do BR, em que teve um pênalti claro sonegado, e um minuto depois teve uma bola no ombro de Kannemann em que foi marcada a infração de forma ridícula, nos restou uma saída: ir com um dossiê à FIFA (sem documentos falsificados) e exigir, no mínimo, a impugnação da partida, e a exclusão do árbitro de campo, o de vídeo e seus assistente, do quadro da CBF

E se nada der certo, aí vai meu Grêmio pros últimos jogos do Brasileiro:

Geraldo;
Vitor Fernandes
Assunção
Hugo Varela
Cassiano;
Federico Martinez
Joãozinho
Renanzinho;
Zagonel
Adryan González
Duda

Treinador: Vinícius Augusto Baier

Não sei se algum desses jogadores existe, muito menos o treinador, mas não faz diferença.

Bota esses aí e manda 9letto, Gaciba e sua quadrilha à merda.


Continuar lendo

Próximo post

A Frustração


Thumbnail
Post anterior

O PATO!


Thumbnail
Música tocando

Título

Artista

Programa atual

Programa atual

Background